Destruição Interna

01-02-2018

Com o tempo aprendi que a insegurança nos leva por caminhos incertos e por vezes confusos.

Não termos confiança em nós mesmos faz com que o mundo se apresente obscuro. Procuram-se defeitos onde eles não existem, por vezes criam-se medos por coisas banais. Digo isto porque sei o que é a destruição interna.

Não sou uma perita em Psicologia, não sou dramática, nem estou a exagerar. Esta é uma realidade. A destruição Interna existe e começa e acaba em nós mesmos. Salva-se quem sabe de si. Não que os medos e as inseguranças não existam, porque existem, sempre existirão, o que faz com que alguns escapem a essa realidade é a coragem, coragem de enfrentar os medos e as inseguranças. 

E com o tempo aprendi que:

Estou a destruir-me a mim mesma com inseguranças no presente do meu próprio futuro.

Estou a destruir-me a mim mesma, quando me afasto das pessoas sem motivo algum e quando tenho medo de olhar os outros nos olhos por ter medo que achem alguma imperfeição.

Por isso, de todas as coisas que faço, aquela que me revitaliza, que me deixa em paz comigo mesma, que faz de mim uma melhor pessoa, que acalma os meus receios e organiza os meus pensamentos, é apenas um pedaço de papel e uma pontinha de carvão.

É estranho como apenas alguns segundos deste momento valem mais do que uma terapia. Esses segundos, fazem-me perceber que existe sempre alguma coisa mais, um ponto positivo, um motivo, uma pessoa, que faz com que esta destruição se torne em salvação e de repente, apenas um motivo tornam-se em mais motivos e uma pessoa torna-se em muitas outras pessoas...

Pode ser apenas um conceito totalmente disparatado do que realmente seja uma Destruição Interna, mas este é o meu.

A nossa destruição depende de nós mesmos, tal como a nossa própria salvação, independentemente daquilo que encontremos ao passar da vida.


CM